Ana Beatriz: terapia experimental em contexto autólogo

Escrito December 12, 2013
Por Webmaster
2010

Ana Beatriz: terapia experimental com células estaminais do sangue do cordão umbilical, em contexto autólogo

Após o diagnóstico de Paralisia Cerebral, devido a anóxia durante o parto, os pais da Ana Beatriz viram nas células estaminais do sangue do cordão umbilical uma esperança na melhoria da qualidade de vida da menina.

A amostra já chegou à Universidade de Duke, na Carolina do Norte (E.U.A) e a terapia foi realizada no final do mês de Abril de 2010.
A equipa Bebé Vida deseja as melhores felicidades à Ana Beatriz e fazemos votos para que a terapia, a que se vai submeter, lhe permita uma franca melhoria de qualidade de vida.

​Conheça todos os detalhes da história da Ana Beatriz, aqui.

Conheça o testemunho dos pais da Ana Beatriz clique aqui.


 
Diagnóstico

Após uma gravidez saudável, os pais foram confrontados com o diagnóstico de Encefalopatia Hipoxico-Isquémica de grau III, pelo facto da Ana Beatriz ter sofrido, durante o parto, de uma anóxia grave que lhe provocou uma paragem cardíaca de quatro minutos, tendo registado um apgar de 0/3/5.
 
Pedido de resgate da amostra

Apesar da complexidade da situação, foi possível a realização da colheita das células estaminais do sangue do cordão umbilical que representou para os pais uma forte esperança de melhoria da qualidade de vida da bebé.
Após terem conhecimento do caso do menino Dallas Hextel e do tratamento experimental que está a ser levado a cabo na Universidade de Duke, na Carolina do Norte (E.U.A), pela Dra. Joanne Kurtzberg, os pais da Ana Beatriz não hesitaram em contactar a Dra. Joanne Kurtzberg, expondo a situação da Ana Beatriz e solicitando informações.
Após a confirmação da possibilidade de realizarem uma terapia no mesmo hospital, os pais da Ana Beatriz contactaram, de imediato, o laboratório da BEBÉ VIDA para solicitar o resgate das células estaminais criopreservadas.