Ana Catarina: terapia experimental em contexto alogénico

Escrito December 12, 2013
Por Webmaster
2009

Ana Catarina: terapia experimental com células estaminais do sangue do cordão umbilical, em contexto alogénico

Ana Catarina foi o primeiro caso de Apoio da BEBÉ VIDA SORRISOS.
 
Em Junho de 2009 apoiámos a Ana Catarina, uma menina, actualmente com quatro anos, que sofre de Displasia Septo Óptica (Sindroma de Morsier), doença congénita que lhe provocou hipoplasia dos nervos ópticos e, consequentemente, a cegueira.

Os pais da Ana Catarina solicitaram apoio ao BEBÉ VIDA SORRISOS porque acreditaram que um tratamento com recurso a células estaminais, do sangue do cordão umbilical, poderia contribuir para melhorar a qualidade de vida da filha.

Esta esperança baseava-se numa pesquisa que comprovava que 15 crianças tinham mostrado sinais de melhoria, recuperando parcialmente a visão, após o tratamento com recurso a células estaminais do sangue do cordão umbilical, para regeneração dos nervos ópticos.

Acreditámos que tal seria possível e unimo-nos a esta causa influenciando órgãos de comunicação social e mobilizando clientes e parceiros. O BEBÉ VIDA SORRISOS conseguiu angariar mais de 11.000 euros.


Displasia Septo-Óptica: a Terapia

A terapia, que decorreu entre os meses de Outubro e Novembro de 2009, foi realizada no Bethune International Peace Hospital no Beike Biotechnology, na China, onde há registo de mais de 15 crianças submetidas ao mesmo tratamento sem apresentarem, até à data, efeitos que causassem a regressão de resultados.

Após três meses de terapia, a Ana Catarina apresenta resultados significativos, reagindo às variações de luz.

Os pais da Ana Catarina salientam a importância dos sinais positivos do tratamento.