Como são classificadas


As células estaminais, podem ser classificadas segundo a sua capacidade de produzir novos tipos celulares, ou seja, a sua potencialidade. Em ordem decrescente de potencialidade estão as células estaminais totipotentes, pluripotentes ou multipotentes.

CÉLULA ESTAMINAL TOTIPOTENTE
As células estaminais totipotentes são totalmente indiferenciadas, e correspondem ao estádio com a máxima capacidade de diferenciação, pois é a partir delas que se formam todos os outros tipos de células que compõem um ser humano adulto.
O tipo de célula estaminal com maior potencial de diferenciação é o ovo fertilizado ou zigoto que dá origem aos tecidos que constituem o embrião e aos tecidos essenciais no desenvolvimento embrionário, como o cordão umbilical e a placenta.

CÉLULA ESTAMINAL PLURIPOTENTE
As células estaminais pluripotentes são aquelas que se conseguem diferenciar em células derivadas das diferentes camadas embrionárias (mesoderme, endoderme e ectoderme).

Cada uma destas camadas dá origem a diferentes tipos de tecidos especializados, excepto aos anexos embrionários. As células pluripotentes, encontram-se no embrião humano até à fase de gastrulação, o que ocorre ao 14º dia do desenvolvimento.
CÉLULA ESTAMINAL MULTIPOTENTE 
As células estaminais multipotentes, são limitadas na sua capacidade de diferenciação, pelo facto de só originarem células da sua linhagem embrionária mas não de outras linhagens. Estas células têm sido isoladas de tecidos adultos (medula óssea, sangue periférico, fígado, pâncreas, intestino, pele, músculo esquelético, vasos sanguíneos e cérebro) que derivam de um dos três folhetos embrionários (endoderme, mesoderme e ectoderme).

As células estaminais estão relacionadas com os processos de renovação contínua dos tecidos, bem como na reparação de lesões tecidulares destrutivas.
A partir das células estaminais somáticas formam-se células morfológica e funcionalmente especializadas ou adultas, por um mecanismo de divisão assimétrica que origina dois tipos de células com destino diferente: uma diferencia-se de modo a originar uma célula adulta do tecido donde provém e a outra mantém as características de célula estaminal.

Nesta evolução biológica, as células estaminais somáticas adquirem um estádio intermédio de diferenciação passando a serem designadas por células progenitoras. As células progenitoras já estão “comprometidas”, de forma irreversível, com a via de diferenciação que vão seguir dependendo da sua localização nos tecidos donde provêm.
As células estaminais podem também ser classificadas em função da sua origem. Neste caso, encontramos células estaminais embrionárias e adultas.
As células embrionárias são obtidas a partir do embrião numa fase inicial do seu desenvolvimento e por este motivo a sua utilização envolve questões éticas. As células recolhidas e criopreservadas são células estaminais adultas.
ORIGEM
As células estaminais podem também ser classificadas em função da sua origem. Neste caso, encontramos células estaminais embrionárias e adultas. As células embrionárias são obtidas a partir do embrião numa fase inicial do seu desenvolvimento e por este motivo a sua utilização envolve questões éticas. As células recolhidas e criopreservadas são células estaminais adultas.
CÉLULAS ESTAMINAIS ADULTAS
Estas células são células não diferenciadas que se encontram em tecidos diferenciados e especializados. Têm a capacidade de se auto-renovar durante toda a vida do organismo e têm como papel primério manter e reparar o tecido no qual se encontram. Falamos neste caso, das células recolhidas do sangue e tecido do cordão umbilical no momento do parto.