A recolha de células estaminais

A recolha de células estaminais do cordão umbilical realiza-se após o nascimento do bebé e é um procedimento simples e indolor.
O profissional de saúde que assiste o parto utiliza o Kit de Criopreservação para efetuar a recolha e acondicionamento do sangue e tecido do cordão umbilical que serão enviados posteriormente para o laboratório BebéVida.

Ao longo de todo o processo recorremos à tecnologia de ponta para disponibilizar diversas opções de processamento, que garantam a máxima qualidade.

O processamento de Sangue do Cordão Umbilical

O Sangue do Cordão umbilical é armazenado em criobolsas bicompartimentadas de alta resistência durante, pelo menos,  25 anos. Hoje em dia, guardar estas amostras permite tratar mais de 80 doenças.
Em laboratório usando a mais avançada tecnologia disponibilizamos dois tipos de processamento para as amostras de sangue do cordão umbilical: Convencional e Avançado.

Processo convencional
Processo avançado

Para reforçar a segurança de todas as amostras a BebéVida criopreserva em caixas de alumínio e utiliza o Overwrap Bag.

O processamento do Tecido do Cordão Umbilical

O Tecido do Cordão umbilical é rico em células estaminais Mesenquimais, sendo objeto de estudo em centenas de ensaios clínicos a decorrer nas mais diversas patologias, um pouco por todo o mundo.
Seguindo os mesmos parâmetros de qualidade exigidos para o sangue e tirando partido da melhor tecnologia disponível, a BebéVida processa o Tecido do Cordão de duas formas distintas: Fragmentado e Isolado. Conseguimos assim aproveitar o máximo possível de tecido e garantir a qualidade das amostras criopreservadas.

Colheita de TSU

Qualidade do Processamento

Todo o processo, procedimentos e equipamentos cumprem os mais exigentes padrões e normas da FACT. A BebéVida é o único laboratório em Portugal com esta distinção e um dos 6 privados a nível mundial que estão acreditados pela FACT garantindo os mais elevados padrões de qualidade.