Estudo confirma a segurança da terapia com células estaminais para dores crónicas no joelho

Um estudo recentemente publicado na revista Stem Cells Translational Medicine confirmou a segurança do uso de células estaminais mesenquimais do próprio paciente para tratar dores no joelho causadas pela osteoartrose.

A dor crónica no joelho é um grande problema de envelhecimento, afetando aproximadamente 25% de todos os adultos, de acordo com os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA. A osteoartrite é a causa mais comum desta condição em pessoas com 50 ou mais anos de idade. Para além da dor, que pode ser debilitante, os problemas nos joelhos podem afetar significativamente a mobilidade e a qualidade de vida de uma pessoa.

Os resultados do estudo mostraram que, cinco anos após o transplante, as lágrimas relacionadas com a osteoartrose no menisco do joelho tinham cicatrizado e, igualmente importante, nenhum dos pacientes experimentou efeitos secundários graves do tratamento. Os danos relacionados com a idade no menisco levam frequentemente à progressão da osteoartrose do joelho.

A cirurgia de substituição do joelho é atualmente o tratamento padrão. Contudo, embora raramente, esta cirurgia comporta riscos, como a possibilidade de infeção.

As Células Estaminais Mesenquimais são células estaminais adultas multipotentes presentes no cordão umbilical, medula óssea, gordura, polpa dentária e noutros tecidos do corpo. A sua capacidade de secretar moléculas biologicamente ativas que exercem efeitos benéficos nos tecidos lesionados torna-as um alvo promissor na medicina regenerativa.

Segundo Anthony Atala, MD, editor-chefe da Stem Cells Translational Medicine e director do Wake Forest Institute for Regenerative Medicine, estes resultados sugerem uma abordagem potencial que poderá mudar a saúde física global dos pacientes que sofrem de osteoartrite e que sofrem de dores debilitantes nas articulações.

Quer saber mais sobre Células Estaminais?