Cláudia Semedo

“Preservar. Verbo que se agiganta quando se trata da protecção daqueles que mais amamos. Não tive dúvidas quando decidi avançar com a criopreservação das células do sangue do cordão umbilical da Alice. Mais do que uma certeza, fi-lo com espírito de missão, a de cuidar do futuro da minha filha e permitir, caso venha a ser necessário, que ela tenha acesso a todas as armas ao seu dispor para lutar contra as adversidades. A ciência evolui todos os dias, acompanhar essa evolução pode fazer toda a diferença.”