Tratar insuficiência cardíaca com células estaminais do cordão umbilical

Escrito October 3, 2017
Outubro 2017

Tratar insuficiência cardíaca com células estaminais do cordão umbilical

A insuficiência cardíaca é uma condição em que o coração é incapaz de bombear sangue na corrente sanguínea em quantidade suficiente para dar resposta às necessidades do corpo.

Calcula-se que mais de 4% dos portugueses sofram de insuficiência cardíaca, sendo que, no escalão acima dos 80 anos, a prevalência é de 16%.


Como regra, a insuficiência cardíaca não pode ser revertida e o tratamento visa melhorar a qualidade de vida, a autonomia e reduzir a mortalidade associada a esta condição.
Um estudo realizado por investigadores da Universidade dos Andes, no Chile, demonstrou que a infusão de células estaminais hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical é eficaz na melhoria da funcionalidade da miocárdio e a qualidade de vida de pacientes com insuficiência cardíaca.
 
Como explica Jorge Bartolucci, responsável pelo estudo, "os tratamentos farmacológicos convencionais podem ser ineficazes no controle da insuficiência cardíaca, e os pacientes muitas vezes acabam por exigir terapias muito mais invasivas, p.e. dispositivos mecânicos para assistência ventricular ou transplante cardíaco. E neste contexto, diz Fernando Figueroa, co-autor do estudo, "estes resultados são certamente encorajadores e poderão abrir caminho para uma nova terapia não invasiva e muito promissora para um grupo de pacientes com um prognóstico reservado".
 
Como os autores observaram, "as células estaminais são especialmente atraentes porque estão prontamente disponíveis e improváveis ​​de causar complicações imunes
 
O estudo consistiu na administração intra-venosa de células estaminais hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical alogénicas a 30 pacientes, com idade entre 18 e 75 anos, com diagnóstico de insuficiência cardíaca. As amostras de sangue do cordão foram obtidas de dadoras devidamente documentadas com consentimento informado. O estudo foi duplamente cego com grupo de controlo sujeito a placebo.
Os resultados mostraram que a terapia com células estaminais estava associada a uma melhoria sustentada e estatisticamente significativa na capacidade do coração de bombear sangue durante os 12 meses após a intervenção.
 
Consequentemente, os pacientes que receberam o tratamento "ativo" mostraram uma melhoria significativa na sua funcionalidade para realizar atividades diárias e qualidade de vida.
 
Além disso, o estudo não mostrou efeitos adversos associados ao tratamento. Nenhum dos pacientes que receberam células estaminais desenvolveu "aloanticorpos", isto é, anticorpos contra antígenos que, embora originários de outro ser humano, são geneticamente distintos, o que faz com que uma resposta imune seja desencadeada. Uma complicação comum em pacientes que recebem um transplante de órgãos ou uma transfusão de sangue.
 
Em conclusão, a terapia com células estaminais do sangue do cordão umbilical tem grande potencial para melhorar significativamente a qualidade de vida de pacientes com insuficiência cardíaca. Esta descoberta poderá oferecer uma nova opção terapêutica para uma doença que hoje tem poucas alternativas.
 
Fonte:
http://www.abc.es/salud/enfermedades/abci-celulas-madre-cordon-umbilical-eficaces-para-tratar-insuficiencia-cardiaca-201709261810_noticia.html